quarta-feira, 23 de maio de 2018

QI de ameba

                                  KLIKA na imagem. É do Youtube

Depois de muita luta e até brigas com pessoas que vem trazer seus cães para defecar na nossa rua, agora vejo outro fenômeno.
Os microcéfalos, depois de conseguirem aprender que deviam recolher o cocô dos cachorros, estão recolhendo em saquinhos plásticos e... jogando na rua !!!!!!!

Socorro! Como imaginar que essa gente educa seus filhos em algum mínimo conceito para a vida cotidiana?

Outro dia fui buscar um documento na Secretaria de Obras e parei o carro um pouco longe porque a cidade está toda retalhada para pagar estacionamento  para a prefeitura. Então, me perdi e perguntei a duas senhoras, paradas na esquina, se elas moravam no local e conheciam a região. Sim, moravam há trinta anos naquela rua. Então perguntei sobre a secretaria e que ficava em um edifício, em frente ao Bar do Bolinha. Uma delas respondeu, apontando para a direita, que eu seguisse a rua porque lá na frente tinha um monte de ruas e eu poderia saber qual era a que estava a secretaria.
Como eu não segui a orientação muito vaga ( ! ) parei, olhei em redor e vi, do outro lado da rua mais em frente, o Bar do Bolinha com uma placa do tamanho do mundo. Ao atravessar a rua para ir onde precisava, a senhora comentou com a amiga que eu não estava seguindo a sua orientação.

Socorro!!! Duas senhoras que devem ter educado seus filhos para a vida e sequer sabem o nome da rua ou onde ficam coisas óbvias para quem mora há tanto tempo no local. Como sobrevive essa gente? Como educam o brasileiro?
Algumas delas são as que recolhem o cocô do cachorro em um saquinho e jogam na rua, exatamente onde o cachorro defecou.

Eu  precisava  nascer nesse lugar?!

#cocodecachorro

terça-feira, 22 de maio de 2018

Pobre gosta é de riqueza

                           
Antigamente saíamos de carro para conhecer a cidade. Obviamente passávamos pelos bairros ricos para ver as casas grandes e bonitas. Pobre é uma desgraça, não tem vergonha de ver a abastança alheia.
Ou andávamos a pé no mesmo bairro e adjacências  para ver a fachada das casas, muitas no estilo moderno de Brasília porque estava na moda. Nenhuma tinha telhado. A arquitetura moderna exigia laje imperbializada , coisa caríssima, linhas retas e jardins com muita grama. Eram bonitas.

O casamento na Inglaterra do inútil filho da princesa Diana trouxe-me essas lembranças. A pobreza do mundo indo apreciar o casamento de um cara que não faz nada na vida de útil mas mora em um palácio, anda de avião próprio e carro elétrico de um milhão e meio de reais. No mínimo.

Que celeuma um  cara que beira a bundão casar-se com uma moça mais velha, mulata, divorciada, atriz e estadunidense. O cara precisa mesmo é de uma mulher assim a conduzí-lo. Afinal, um inseguro que não superou a morte da mãe. Frequenta psicólogo porque a mãe morreu em um desastre de carro e ele teve que ir ao enterro! Um florzinha que teve tudo na vida e procura o que ser vítima para provar que não tem tudo. Uma moça com experiência e acostumada a abrir caminho na vida, está de bom tamanho para o bebê chorão, um fofura como disse o fotógrafo da corte.

Acompanhar o casório só porque não tem nada para fazer e, até eu, li alguma coisa a respeito mas não tive paciência para ver a papagaiada na igreja. Dizer que a moça é feminista mas vestir de noiva, com vestido branco , véu de cinco metros, adotar o nome e título do marido não tem nada de feminista. A menos que seja para angariar dinheiro e aumentar a conta bancária própria, da casa real e do próprio país outrora useiro e vezeiro em usar a chibata para ensinar ao mundo como ser educado, fino e rico.

Não é azedume meu. Mas não gostar de tanta lantejoula jogada e fingir que está entediado para desculpar o complexo de culpa judaico cristão, amansado com meia dúzia de atos de caridade  não muda absolutamente nada onde são praticados.

Enquanto isso, a certeza é a reprodução de mais rebentos inúteis, porque a fornicação está garantida na despreocupação dos fartos. Desde que a nossa miséria tupiniquim não seja ofendida e a africana usada para tapar o Sol com a peneira.

#casamentoharryemeghan


Atualização ou alienação

-Um pedaço da minha casa 
                     

Se o mundo não está acabando é porque tudo continua na mesma.

Não consigo entender uma pessoa sem fazer exercício físico, nem que seja uma mera caminhada três vezes por semana ou procurar entender como funciona os recursos da internet. Olho  de olho cruzado para aqueles que dizem ter horror a internet e seus recursos. Faz lembrar aqueles alemães da minha vizinhança, quando eu era menina, da esquina da Rua Brasília com Teófilo Otoni em Belo Horizonte / MG e que nunca aprenderam o português. Ou aquela gente que tem medo de escada rolante ou andar de elevador.

Minha avó paterna, Vovó Umbelina, tinha uma irmã Maria, que ficou trinta anos sem sair de casa. Só saiu depois que sua neta tornou-se psicóloga e conseguiu fazê-la passear de carro mas encolhida em um canto. Ao mudar-se de Pium-í para Belo Horizonte, a cabeça dela não suportou os bondes, os carros e as mulheres com saias que não eram arrastadas na poeira do chão. Continuou costurando suas roupas, na máquina Singer de pedal e foi o estilo que eu lembro-me dela.

As pessoas não precisam entrar em redes sociais que são meras formas de enriquecimento para uns e leitura fácil para outros. Embora não sirvam para uns, as redes sociais obrigam a pessoa a ler e escrever, aprimorar um mínimo  português porque, muito embora seja tolerável a  confusão entre mais e mas, os bestuntos tentam escrever melhor a cada dia.

Ou todos nós participamos das novidades tecnológicas como sempre foi feito, na medida exata das diferenças e proporções, ou podemos encomendar o enterro, a cremação e até deixar tudo pago.

#ainterneteavida

segunda-feira, 14 de maio de 2018

Decadência

                             
A pior coisa é aceitar que está envelhecendo, ficando velho, perdendo a juventude. O que se faz para fingir que não é o mesmo da mocidade, que as forças estão indo embora, que tudo vai ficando mais difícil não tem limites.
Quando mamãe fez cirurgia de catarata e olhou-se no espelho, ela disse que levou um susto com o que viu. Papai sorria satisfeito quando contava que na portaria do prédio da minha irmã, o porteiro pensou que ele fosse irmão dela. No filme Tudo a Ganhar a mãe da personagem principal diz que, quando se olha no espelho não se reconhece.

Estou chegando nessa fase. Velha metida a moça é alvo de pessoas que estão prontas para agredir gratuitamente. Sempre encontram uma forma para lembrar que a pessoa está velha. Nem que for indicando a fila dos velhos no supermercado. Ver os outros envelhecerem com saúde é uma tortura para quem cai pelas tabelas desde quando fez trinta anos.

Mas o pior é quando as forças físicas não são as mesmas. Eu fazia dez coisas ao mesmo tempo. Tinha um preparo físico que dispensava ajuda para isso ou aquilo. Um exemplo é quando estava grávida de oito meses do Marcus, o gás acabou e eu tive que levar o botijão no muque, escada acima  porque o cara da revendedora não o fez. Para não discutir com ele, e percebendo que ele abusava por eu estar grávida e com o sorriso nos olhos, querendo colocar-me no meu lugar, peguei o botijão e levei escada acima.

Tive uma empregada muito frágil que procurava não limpar o chão da casa. Em uma manhã varri a casa toda, passei o pano com detergente e encerei. E, na boa, suando pra caramba porque o calor e a umidade é muita nesse lugar, mas não tive problema algum. Hoje, no máximo faço isso cômodo a cômodo.

Subir as escadas da Cidade Alta, em direção ao Forum, de dois em dois degraus era moleza, mesmo grávida. E sem resfolegar na chegada ao topo.
Hoje, faço minha caminhada e quando subo  o morrinho aqui perto de casa ou as escadas da academia, tudo  bem rápido mas degraus um a um, na terceira vez já coloco os bofes pela boca.

De manhã já levanto mais lentamente com vontade de ficar deitada, lendo ou dormitando. Ao levantar e ainda sentada na cama, preciso fazer ginástica com os pés porque podem ficar com fascite ou eu andar devagar até o aquecimento.

Vejo processos desde 1970 e guardava tudo na cabeça. Mesmo com os arquivos de sempre. Em um tempo em que não havia cópia xerox e as petições eram datilografadas com três cópias e papel carbono, as informações jurídicas estavam na capacidade de compra de livros e coletâneas de jurisprudências, a memória sempre foi um diferencial. Uma advogada, formada há pouco tempo, disse que tenho memória de elefante e eu fico pasma por ela não ter memória alguma. Mas sinto que preciso correr o alfabeto todo até  lembrar-me de uma palavra ou outra.

Estou ficando velha e isso é a ponta do iceberg. Sinto minha cabeça esfumaçando, pinicando, alguma coisa está acontecendo. Mas o pior mesmo é achar que Elvis já era, está ultrapassado como figura masculina e já morreu há tempos demais.

Caramba ! Envelheci. Como dizia mamãe, estou muito decadente...

sexta-feira, 4 de maio de 2018

Por pouco, um Haiti

                          
A miséria do povo brasileiro não é porque não trabalha ou é indolente como querem os donos do sistema. A miséria desse gigante é por falta de atuação de quem devia atuar.
Mas as coisas estão mudando. Não é plano de governo que não dá certo e nem inflação mas as causas de tudo e que resume-se em uma palavra CORRUPÇÃO.

Eu não simpatizo com a figura de Sérgio Moro mas não posso deixar de reconhecer o papel histórico que desempenha na construção da nação. Minhas ojerizas são, exatamente, por exercício da profissão que esbarrou e esbarra em magistrados indiferentes aos feitos que julgam e muito distantes da construção do Brasil. A maioria não tem compromisso com o cargo, com a necessidade de ser imparcial e na omissão da aplicação da lei.
Mas sei que tudo acontece no Brasil pela coragem ímpar, a lucidez da inteligência e a vocação para o cargo, exercida pelo juiz federal. Fica claro que nada aconteceria se em outra região do Brasil que não fosse a região sul.
Tanto é assim que as cosas aconteciam no RJ e SP e não dava em nada.

Hoje, como reflexo da compostura serena e atuante de Moro, no cumprimento da sua função, o juiz federal Marcelo Bretas, lotado no RJ, assumiu seu papel no desbaratamento da intrigada criminalidade da nata carioca. E, consta que foi lancetada ferida mais pustulenta do que a Lava Jato com decretação da prisão do doleiro, figura expoente na intrigada vida dos ricos daquele estado. E, que nunca pára de nos horrorizar pela capacidade de sugar a nação, seu povo e fazer o Brasil um país pobre, nos bilhões usados, desviados do povo brasileiro.

Se JK não tivesse mudado a capital para o meio oeste , já seríamos um Haiti.

Não leu? KLIKA

Cumulos acumulados

                                              - Minha casa à direita

O estado brasileiro não educa. O estado brasileiro prefere usar a punição  para atingir os seus objetivos. Não é verdade que o país não tenha um programa, um foco, um caminho, uma proposta de país. Seus representantes, aqueles que comandam, tem propostas claras, Inclusive digladidam-se para impor um e outro à população afastada das decisões e que só é chamada para, como ovelha, dar respaldo nas eleições.
Enquanto estado que não educa, o controle da natalidade é  levado à população através de leis que restringem ou punem os parvos que insistem em reproduzir em um país que não tem cidadania para quem não esteja na base da pirâmide social. Não há educação sexual, mas incentivo ao sexo livre, crescimento da maternidade e paternidade do adolescente sem interferência, incentivo a prostituição como baluarte da masculinidade, justiça que não protege a paternidade a não ser pela prisão do devedor da pensão alimentícia, guarda compartilhada nem pensar, campanha a favor do parto vaginal e aleitamento materno, dissolução da família, aumento da criminalidade, falta de oferta de trabalho para a juventude com consequente ócio e adesão ao mercado das drogas.

Outro dia recebi um telefonema pedindo dinheiro para as mães e bebês que nasceram prematuros. Mudaram o discurso anterior que era dinheiro para o leite das criancinhas. Em ambos perguntei se havia algum programa de educação sexual, de vasectomia para os que tinham três filhos no máximo, de verificação do grau de alfabetização dos pais, de como direcionavam os filhos para as escolas. Qual era o grau de miserabilidade para reproduzir brasileiros saudáveis. Ficaram ofendidos porque julgaram a pergunta uma ofensa. Eu devia contribuir por amor ao próximo. 

Qualquer manual básico de sociologia contém o princípio que um país não pode planejar nada sem saber quantos, onde e quem vai nascer no lugar. Enquanto isso, o estado brasileiro, por seus representes, estão mais preocupados em política de esquerda e de direita. Ou cadeia nos drogados, desconhecimento dos abortos, pessoas sem educação para o mercado de trabalho, presos porque restou-lhes a marginalidade, cadeia produtiva vergada pelos impostos e defesa de corruptos sanguessugas da nação. 

Há muita coisa escondida atrás dos discursos de ex padres bolchevistas e sindicalistas que não largam o osso. Palavras o vento leva e escondem-se em nuvens passageiras.

Ok, vamos a revisão KLIKA

quinta-feira, 3 de maio de 2018

Tática guerrilheira

- Belo Horizonte/ MG ao entardecer
                     
Quando eu fazia militância política através de de uma entidade popular, meu marido alertou-me que eu estava  sendo confundida com comunista. Que tivesse muito cuidado com as táticas guerrilheiras dessa gente, dispostos a fazer qualquer coisa para anular aqueles que não aderissem a eles. Com a capacidade em divulgar mentiras e matar honras e vidas.
Já nos anos oitenta, antes da Constituição Federal de 88, o PT e o PCdoB tentaram fazer da nossa entidade um braço de poder porque tínhamos muito prestígio. Não aceitamos e deixamos claro que não admitiríamos interesses políticos em nosso meio. Buscávamos a igualdade de direitos e não fazíamos assistência social. Jamais aceitaram. E, nos lançaram a pecha de mulheres entediadas, frustradas  e mal amadas da classe média quando éramos exatamente o contrário.

Nada mudou. Passados tantos anos e com a prisão do Velhaco e sua quadrilha deparamos, historicamente, com   a queda de uma máscara afivelada com esmero na cara do guerrilheiro, quadrilheiro e o mais velhaco da história da humanidade. A arte de esconder, dissimular e manipular os pseudos espertos e sabichões é realmente de estarrecer. Nenhuma liderança mostrou a capacidade de esconder tão bem a verdadeira face. É bandido social de alta periculosidade.

Depois de liderar a desconstrução de um dos orgulhos do brasileiro que é a miscigenação e a busca de uma sociedade sem racismo, jogar cristãos de várias vertentes uns contra os outros, patrões e empregados, maridos contra filhos e esposas numa barafunda sem tamanho o velhaco engendra jogar o povo contra os juízes de suas causas e, caramba, o Juiz Moro contra o Supremo Tribunal Federal.
Não bastassem as notícias falsas, a indústria da calúnia e as tentativas de minar as instituições o Velhaco e sua gang mentem a repeito de tribunais internacionais quando divulga que o Brasil ( !!!!! ) é réu no Tribunal de Haia.
Afinal o que é esse absurdo inexistente como figura jurídica? É a certeza da ignorância da massa brasileira que nunca leu um livro e outros tantos mantidos á distância da compreensão exata do que se passa na nação. 

Essa gente metida a intelectual, tapeada à medula por um espertalhão sem escrúpulos mas vaidoso em ludibriar pseudo gênios sociais deve  estar sofrendo muito, em gestação elefantina, sem conseguir parir a derrota. 

Não sabe? Pois sente-se antes de ler, respire  fundo e KLIKA

quarta-feira, 2 de maio de 2018

Abusos e abusos

- Você escolhe o lado da felicidade
                   
As pessoas não falam. As pessoas não denunciam. E, não o fazem porque sofrerão retaliação. Quem sabe até perseguição pelos próprios companheiros beneficiados. Ainda correm o risco de serem tidas como criadeiras de caso, implicantes, chatas, X9, dedo-duro, judas.  Pior, correm o risco de inversão do foco se a denúncia atinge poderosos ou interesses inconfessáveis. Perder o emprego? Com certeza.

Quando se tem a maldita vocação para ser advogado, o impulso precisa ser controlado como se fosse um vício.
A primeira vez em que levei ao conhecimento do que se passava eu devia ter seis anos. Fui excluída e nunca disseram o motivo. Só em adulta percebi porque lá em casa me perguntavam o que tinha acontecido e eu não sabia. Depois foi como professora primária recém formada. Fui mandada embora e minha vingança é que a escola faliu, poucos anos depois. Se tivessem me escutado poderiam ter ido em frente.

Em associações estudantis ou religiosas, que eu sempre busquei porque gostava de participar desse tipo de coisa, preferi me afastar. Talvez por afastar lideranças com seus abusos, faltam lideres no país. Não eram abusos sexuais mas de poder.

Quando já advogada, um episódio entre tantos, foi porque  recusei-me  fazer constar em ficha a raça do cliente que eu atendia na defensoria pública. O energúmeno exigiu que eu pedisse minha exoneração. Recusei-me. Que me exonerassem. Fui exonerada sob ameaça de processo administrativo e nem sei com que alegação. Nem me interessei, virei as costas e ponto. Talvez por meus argumentos quando não medi as palavras e devem ter pensado que eu desafiava o Movimento Negro do qual o chefe fazia parte. Fiquei tranquila porque não me vergo. Fizeram aglomeração na porta, em protesto. Pessoas que souberam e que eu havia resolvido seus casos com simples telefonema quando batiam cabeça atrás de soluções, andando dali praqui. Eu apenas soube. Que se danassem todos. Eu, viúva com dois filhos adolescentes e eles sem dó. As ameaças não se concretizaram e eu cuspi de nojo do boçal. Imagine que bobagem! Mesmo porque nem eu sei que cor eu tenho pois quando, com onze anos, fui tirar Atestado de Boa Conduta, o cara colocou cor parda e eu perguntei a mamãe que cor era aquela. Era a cor do papel que embrulhava o pão.
Desde então, recuso-me a aderir a essa conversa de cor, raça, origem, importada da zoropa pois brasileiro não tem cor, não tem raça e tantas origens que não sabe dizer. Brasileiro somos todos nós nascidos e misturados, formando uma novidade que os estrangeiros ouvem cantar o galo mas não sabem aonde.

Portanto, eu entendo perfeitamente o medo e a omissão de tantos atletas nacionais ou estrangeiros em não fazer denúncias de nenhum abuso vivido. E, com certeza não é somente o sexual mas as físicas e incluídas as humilhações para melhor rendimento. Precisa ser maluco e nascer sem medo e, mesmo assim, preferir viver sem as lantejoulas da civilização porque o sistema é forte para proteger poderosos e duvidar dos fracos. As necessidades colocadas no desempenho moldam tudo. E, os fracos  não sabem reagir, não têm forças. Ou não podem. Sejam jovens ou adultos. Quando não preferem a própria morte. Mas este já é outro assunto...

Está por fora? Então, KLIKA

Ou por quê ? AQUI

segunda-feira, 30 de abril de 2018

Impostos da vergonha

Parece mentira mas Chefe Boran é autoritário e democrático quando precisa. Comanda seu bando com o olhar e educa com o exemplo. Só vendo para acreditar...
                                 

Cada vez mais o estado brasileiro, por seus agentes determinantes, autoridades distantes do povo comum, aperta o garrote vil do seu domínio no pescoço do povo brasileiro.

Em vez de educar o povo, levar a sério o estudo, a leitura, o bom exemplo, quem decide aplica no povo o castigo. Abandonado à própria sorte, sem comando ou liderança, o povo brasileiro faz o que seu instinto manda. E, muitas vezes, acuado e sem saída, decide contra si mesmo.
Para um segmento que teve acesso à educação, viajado pelo mundo, cheio de razões do espírito aculturado e indiferente ao abandono da massa, o que essa gente devia fazer é ficar sentado no meio-fio, aguardando seu senhor aparecer e ofertar-lhe trabalho. Da mesma forma que levas de negros libertos pela Lei Áurea  fez quando pensou que a liberdade de lei bastava para sobreviver livre.

Está errada essa malta bem vestida ou de toga. Não é fazendo leis e apertando o cerco com punições e multas que farão um país educado, cujo cidadão respeite o seu compatriota e tenha um mínimo de convivência civilizada. Farão um povo educado e respeitoso quando o educador for a profissão de destaque e a educação prioridade. Não é a segurança pública a prioridade de um governo ou do estado mas a educação em seus princípios fundamentais: Atitude, exemplo e imitação.

Hoje o estado brasileiro entra até em nossas casas para dizer como devemos educar nossos filhos, manter relacionamento com os cônjuges, escolher sexualidade, votar direcionadamente, fazer contrato de trabalho com pagamento a sindicatos, abrir nossos negócios, andar na rua, interfere em nosso direito de pensar, falar e ir e vir.

Um cidadão que  trabalha três meses para sustentar um estado intervencionista, que não dá acesso à educação, que direciona a escolaridade para servír a esse mesmo estado e aos interesses dos poderosos em manter o controle pela ignorância, está fadado ao nada. E,  este mesmo cidadão comum, fadado ao nada não tem outra consequência que um estado estagnado, fadado ao nada  assim como a nação.

A menos que exista interesses inconfessáveis onde a ordem natural é fornecer a turba para sustentar  o que já é estabelecido. E, um dos pilares é a ignorância para gerar grilhões a serem apertados se houver rebelião individual ou coletiva.

Será que existe ignorante sem ser ovelha comandada por qualquer espertalhão e sustentando os impostos da vergonha?

domingo, 29 de abril de 2018

De dentro do cárcere

Plataforma de petróleo no Pré Sal, ao pôr do Sol.
                     
O Velhaco, de dentro da cadeia continua a gerar ódio e sizânia . Eu não encontro outra palavra para definir o que esse líder da discórdia vem tramando com suas ovelhas  de plantão. A última é jogar o Juiz Moro contra os ministros do STF.

É uma piada indicar um camarada desse naipe para o prêmio Nobel  da Paz. Para mim o Nobel já não vale nada há muito tempo. Porque desconhece o mundo e os benefícios feitos para a humanidade por  pessoas menos poderosas. Os outros não possuem as  lantejoulas  da civilização para merecer o prêmio. A ponto de dar valor a cantor regional no Prêmio de Literatura.  No que acho mais piada ainda, pois meu marido gostava do mequetrefe fanhoso. É cada uma! Parecem duas!

Minha decadência mental vai a passos largos porque não consegui captar os motivos de manter um ladrão dos impostos do povo brasileiro com tantas regalias na prisão. Ele justifica ser o deus dos pobres porque estes puderam comprar  mais do que compravam antes. Será que essa anta sabe que as compras eram feitas em prestações? Até compras semanais em supermercados ? E, usados Cartões de Crédito sem nenhum controle, por ignorância das regras que endividaram  mais da metade de suas ovelhas?

Eu vi bestunta abrir a bolsa e exibir a carteira com inúmeros Cartões de Crédito. Isso fez nascer uma  prestação de serviços para negociar as dívidas com os bancos. Cansaram de telefonar para oferecer os cartões e, depois, para negociar minhas dívidas. Que dívida? Nunca devi um tostão e não sei do que estão falando. Que horror não ter Cartões de Crédito às pamparras!
Surgiram  os diversos programas para ensinar a negociar as dívidas, a planejar gastos, a não comprar no impulso. Não era pouco, com exspecialixstais falando tudo nos mínimos detalhes.
Os créditos consignados colocaram muito vetusto comendo pão com alface durante meses porque compraram carro zero com pagamento em cinco anos ou foi a Cusco no Peru, viagem cujo preço são os olhos da cara. Teve velho que teve piripaque e morreu nas montanhas duríssimas até para Pizarro e sua gente.

Agora vem esse indivíduo, absolutamente vil, dizer que comeram mais carne no tempo do seu governo. Pois eu deixei de comprar carne vermelha, exatamente no governo dele. Além de caras eram refugo do que sobrava da exportação, carne horrorosa, sequer havidas nos tempos do cepo de madeira e embrulho de jornal.

Ou essa gente é burra ou não quer admitir a derrota para o inimigo.

quarta-feira, 25 de abril de 2018

Os pauzinhos da vez

          

O direito brasileiro tem como fonte o Direito Romano. Eu não estudei essa matéria porque estudei na federal mas quem estudou na católica  sim. No entanto, durante o meu curso de direito e em cada matéria, havia a comparação ou a ligação com a origem da legislação ou da teoria geral.

Nos últimos tempos os juristas cooptaram práticas dos Estados Unidos, formando uma colcha de retalhos e tumultuando  a compreensão da teoria do direito brasileiro e sua aplicação. Ali, a origem não é romana mas inglesa, talvez com alguns toques do direito alemão de onde, também  temos alguns conceitos.

O quadro jurídico, a postura e colocação jurídica dos magistrados soam como tiro na água porque vão estudar nos Estados Unidos, Inglaterra e eu gostaria de saber o que essa gente vai estudar por lá. Na verdade, vivem de lacunas da lei advogando , tal qual advogado chicanista que apenas quer ganhar dinheiro e fazer seu nome. Tanto é verdade, que magistrados aposentam e vão advogar. Chega a ser indecente um ex ministro do Supremo Tribunal Federal, tornar-se advogado, já em estado vetusto,  fazer às escâncaras peregrinação de sala em sala dos ministros, em tráfico de influência com seus ex colegas de tribunal.  A ponto de ser recusado a ser recebido por um deles. Provavelmente algum que ainda mantém seus deveres intactos.

Essa geração de cabelos brancos, oriundas dos anos quarenta foi a pior  safra da nação. Tomara que sejam varridos da política nas próximas eleições. Os outros, poderiam estar a caminho da aposentadoria mas aumentaram o limite de idade para desgraça do brasileiro.
OH raça !



terça-feira, 24 de abril de 2018

Para os amigos tudo ...

                     

Todos acompanham a saga da prisão do Velhaco. Impressionante até onde chega a desfaçatez desse energúmeno que se acha Deus. Nas mão de quem o Brasil ficou por tanto tempo, como se fosse uma nação sindicalista. Porque não é raro mortes e agressões entre  sindicalistas ou a população quando são contrariados em suas propostas. Seja nas portas dos bancos, nas eleições das entidades rodoviárias, construção civil, nas portas de entidades, autarquias e por aí vai.

Eu mesma já sofri agressões dessa gente e precisei  impetrar um Habeas Corpus para trabalhar porque minha profissão não tira greve eis que citações, notificações não param e não estão na lista para a justiça abonar em caso de vencimento de prazo ou falta em audiência. É difícil essa cambada entender a diferença e o dever em defender o erário público porque o dinheiro dos impostos tem dono e o advogado é um dos responsáveis em protegê-lo, se ocupa cargo com essa função. Como entenderem se não conseguem diferenciar o público do privado?

Enquanto isso, essa gente faz críticas aos privilégios de uma classe endinheirada ou com poderes políticos mas quando é a sua vez quer tratar um condenado como se não fosse um criminoso comum. Mas é muito vagabundo...

Nunca antes na história mundial um ex ocupante de cargo público reagiu, exigindo privilégios desconhecidos na lei ou nos costumes, quando condenado a crime comum. Um escândalo, uma vergonha e uma perspectiva se esse homem e seus sequazes conseguissem fazer do gigante da América do Sul a republiqueta insignificante dominada pela ditadura sindicalista.

A violência dessa gente, a capacidade de desconhecer o todo e exigir privilégios para um homem que roubou da nação e alega ter feito muito para livrar-se solto não tem fim. E, são senhores de cabelos brancos, alguns trôpegos, dando-se de invencíveis mas comportando-se como adolescentes sem freio.

Até quando essa gente vai desafiar  juízes,  carcereiros, a Justiça, a Polícia Federal, as instituições? Querem fazer a luta armada dos anos sessenta e da qual não desistiram. Entra anos, sai ano e não ficamos livres desse mesmo grupo que tumultua o país há mais de quarenta anos.

O Velhaco precisa ir para uma cadeia de segurança máxima para não poder dar instruções para sua quadrilha , tal qual Beira Mar ou Marcola. Por que estes dois estão incomunicáveis e o Velhaco não?

Será que vou morrer e não conseguir  ver algum avanço no tratamento igualitário do cidadão  no Brasil ?   

Os custos dos privilégios, além do desaforo ? KLIKA

Dificulta para levar vantagem

La   Fúria
                           

Fazer a declaração do imposto sobre a renda é momento de terror. O programa elaborado pela Receita Federal tem o baluarte de ser burro. Parece que forçam o declarante a procurar um profissional pelo tanto de dificuldade em baixar os  programas. É isso todo ano. Depois de tantos anos, embora tenham melhorado muito, declarar o Imposto de Renda é tortura. Talvez seja essa a intenção, tratar o contribuinte como um energúmeno para fazer os técnicos da Receita Federal os gênios da lâmpada.
Meu trauma é tão grande que ano passado não declarei, sendo a obrigada a fazê-lo e pagar multa.

Esse pessoal da Federal são concursados e se dão de donos do Brasil, plantam o terror, passam dos limites, aparecem mais do que devem. E, prestar contas e pagar imposto sobre os salários é um dos absurdos dessa nação onde o estado brasileiro regula toda a sua vida. Não temos liberdade e nem democracia , tudo pantomima que deixa de lado os poderosos e borduna o resto dos cidadão tratados assim como restos.

Onde está o direito de conceder a um brasileiro condenado por crimes contra o povo, abusando do seu cargo e poder algum tratamento diferenciado de um condenado por roubar galinhas?

Enquanto plantam dificuldades no mero baixar programas na internet para mostrar serviço quando algum bestunto cai na rede, os larápios da nação em milhões de suas rendas, continuam tendo privilégios e afrontando o povo comum, como sempre foi.

Desde fazer corretivo nos filhos, discutir com o ex adverso abusado, entrar e sair de algum lugar, exercer seu direito de ir e vir, tudo é penalizado e cobrado por  lei que não dá privilégio a condenado mas concede sala especial para vagabundo descarado e ladrão de carteirinha cumprir pena.

Falta muito pra esse país tornar-se uma nação.

sexta-feira, 13 de abril de 2018

Canoa havaiana

                                              


Nada como  ficar atualizado com as novidades. Porque o mundo continua girando embora tenha gente perdendo tempo, acampado sem conforto, como ovelhas cujo líder está desgarrado, lá pelos lados de Curitiba/PR.


Eu fiz menção a canoa havaiana, ( aqui ) novidade que espalha-se pelo litoral. Mesmo porque, as pessoas que gostam de praticar exercícios físicos começam a saturar-se de academias. Levantar cedo, praticar exercícios no  tempo e com o vento, batendo no rosto é para quem gosta de ser feliz. A saúde agradece. O ar marinho e o iodo acompanham o exercício que pode ser diário ou em dias escolhidos.


Para quem quer diversificar e procurar essa opção em sua cidade, mostro esse filminho interessante, acima. Mas tem mais lá no Youtube.


Além de haver turmas fixas com aulas em vários horários, a pessoa pode fazer uma viagem em fim de semana para conhecer. É para todas as idades. Mas para quem gosta de ser pioneiro, fazer algo novo que chega ao Brasil, diversificando  e aproveitando a vida, é um convite.


Em Guarapari/ES, está na praia do Morro . De uma canoa, já planejam haver mais. A adesão  mostra que há gente preocupada em deixar de lado o cotidiano e as preocupações.

quinta-feira, 12 de abril de 2018

Paciência ?

Canoa havaiana em Guarapari / Praia do Morro
                 
Não vou filosofar a respeito da estupidez humana e da irresponsabilidade do profissional que lida com carros. O mecânico automotivo pode até ter talento mas se não for atento e caprichoso é um arraso.
Um mero trocar de óleo precisa ter um profissional responsável e que tenha a ambição de trabalhar sem deixar rastro.

Eu tenho pavor de mecânicos, empregadas domésticas, pedreiros, pintores e toda essa gama de gente que trabalha com um olho no absurdo. Já sofri muito nas mãos de empregadas quando trabalhava dois horários e abusaram da minha necessidade em ter uma em casa. Às vezes penso que meus filhos podem ter sofrido nas mãos delas quando precisavam ficar a sua mercê. Jurei a mim mesma que, ao meus filhos crescerem só teria uma empregada em último caso. Enquanto eu aguentar não vou contratar nenhum  tipo de empregado.


Eu sou a jardineira da minha casa mas outro dia contratei uma empresa para tirar o bunganvile branco, muito antigo e que já estava incontrolável. Em uma poda, um espinho entrou no meu polegar e tive que arrancar a unha. Pois o camarada teve a cara de pau de  plantar plantas contaminadas com colchonilhas. Quando reclamei, três dias depois, fez cara de paisagem. Tive que arrancar tudo e plantar as novas.

De outra feita, só para dar exemplo, contratei um cara para limpar o telhado da casa, tirar as folhas da árvore do vizinho ( Que só foi cortada pela viúva do sueco fdp quando ele morreu). O sujeito quebrou telhas e sequer voltou para repor (Eu comprando as novas) quando reclamei.

Entre estas e outras, passei a fazer os serviços nem que fique morta de cansada ou peço a meus filhos que o façam. Agora com Marcus adulto, ele ainda contrata gente para ele mesmo não fazer e fica vigiando.


A troca de óleo de um carro tem prazo mas preciso concentrar toda a paciência do mundo quando levo o carro para coisa tão simples. Qual o nome a ser dado para  uma pessoa que troca o óleo do carro e fica vazando? E, se ele sabe que vai ficar " marejando" e não faz nada?

Marcus saiu com o meu carro outro dia e voltou dizendo que havia mancha de vazamento na garagem. Como assim? Eu mal ando com meu carro  que  fica na garagem  porque ando a pé na cidade pequena e para fazer exercício físico ?

Para resolver o problema, comecei por levar no mesmo cara que trocou o óleo, especialista em troca de óleo e pneu, balanceamento , essas coisas. E ele me disse que era um parafuso que havia amassado quando na troca de óleo, que talvez fosse melhor deixar até a próxima data da troca.

Eu estou velha e acabada mesmo:  Respirei fundo e disse a ele, para trocar tudo, consertar porque estava arrasando com o piso da minha garagem. Relutou e só atendeu quando eu insisti que pagaria tudo mesmo com o óleo trocado há pouco tempo. Então, ele tirou o parafuso de alumínio e desamassou em uma maquininha, colocou no lugar e resolveu o problema. Simples assim...

Agora, estou me matando para tirar a mancha que ficou no piso de lajota porque a minha casa é estilo espanhol, mexicano com aquelas lajotas vermelhas.


O cara? Nem aí... Mas meu texto é para alertar porque, depois, pode aparecer um bestunto querendo mudar a caixa de óleo e até fazer outro carro quando é coisa simples.

quarta-feira, 11 de abril de 2018

Os bem mandados

Foto de Andrícia Maia do céu de Guarapari/ES
                              
Difere de um e outro o caminho que a pessoa quer percorrer. A trajetória da vida leva onde ela quer. Não acredito muito em fazer planos e buscar sonhos.
É uma covardia inserir na educação a certeza de que correr atrás dos sonhos é conseguir realizar.
Se assim fosse, pessoas de inteligência superior, com  muitos títulos e diplomas estariam em outro patamar. Muito menos fazer universidade é sinal de sucesso. Existe uma barreira invisível que impede a realização de muitos sonhos e desejos. A pessoa pode chegar até um ponto mas dali não passa. E, encontrar um ou outro que rompeu a barreira é apenas resultado da permissão dos donos do poder.

Lula é um exemplo recente. Com discurso decorado, o mesmo repetido à exaustão desde o comícío das Diretas já. Ele foi apadrinhado pelos intelectuais  da USP e da igreja católica com componentes de culpa judaico cristã e dos comunistas  barrados pelo sistema. Com livros e teorias decorados nos bancos , ele foi a chance dessa gente em aplicar o aprendido na queima de pestanas.
Mas não contavam com a astúcia do velhaco. Com um sorriso no canto da boca e a voz rouca de dizer palavrões e frases de ordem, nenhum passado ou família a respeitar, tudo era lucro. Aprendeu por ouvido. Na universidade da vida conviveu com águias do capitalismo selvagem e esperto, caiu na parceria para obter sucesso nas propostas políticas e pessoais.

Eu já fiz um texto sobre um alto funcionário da CAIXA que possuía a senha para acessar todas as contas. Começou transferindo centavos para sua conta e com o tempo foi aumentando a quantia, até ser apanhado. Isso acontece com todo bandido. Não apanhado no erro, ele vai aumentando a graduação do feito  e perde a noção do perigo. Um ladrão de banco começa com um roubo de carteira ou de hidrômetro do vizinho. Um estelionatário termina dando golpe no próprio advogado que conseguiu inocentá-lo.

Para esse tipo de transgressor, de ladrão, de estelionatário nem a cadeia resolve. Mesmo preso, consegue manter seu poder e seduzir os bestuntos que não conseguiram acreditar que caíram no golpe e foram feitos de bobos. Tem gente que nasceu para ser mandado e, mesmo assim, se dão de líderes. Seriam os que repetem sem pensar: Manda quem pode e obedece quem tem juízo.

terça-feira, 10 de abril de 2018

Freud explica

                                           - Imperdível

Uma das piores partes da Bíblia é a história do O  Bom Samaritano. Só de pensar como gruda no inconsciente humano me dá esgares de ódio.
Por conta da história bem montada, sedutora porque todos, afinal, querem ser tão misericordiosos , generosos e amigos de Deus, que tornam-se escravos dela para sempre.

Esse discurso predador que uma pessoa que não tem capacidade de ser boa se não consegue se ver no outro é um fogo que alastra loucuras e atitudes. Ora, uma pessoa é boa porque o é, é honesta e ponto final, é generosa com os miseráveis porque tem cacife e pode fazer para o outro o que lhe sobra e foi dado. Ser solidário é condição mínima para a civilização funcionar como um todo porque, já foi dito, ninguém é uma ilha.

Imbuído dessa teoria predadora e mentirosa a não ser para enredar a massa de manobra e fazer a horda ondular como ondas do mar ao sabor do vento ou dos tizunames, os lideres populistas, cuja universidade é a vida, manipulam e fazem acontecer  nos países de terceiro mundo.

Que bonitinho ser forte o bastante para proteger os miseráveis, nascidos da falta de líderes e para cobrir a teoria judaico cristã do forte a olhar o fraco e colocar-se em seu lugar. Vai para o céu como os hindus que se queimam em solidariedade aos perseguidos do lixo indiano E trazem os espertinhos que sempre acabam ricos e famosos, manipulando bestuntos de olhos fechados e mãos postas. Ou para pastores de ovelhas estúpidas e liderança para cidadãos que entregam a terceiros os seus destinos.

Luiz Ignácio Lula da Sila, o homem mais velhaco produzido nos últimos cinquenta anos neste país, soube usar essas máximas ao extremo. Por isso os padres metidos a comunistas, os intelectuais sabe-tudo que seriam mandados para a Sibéria por Stalin e os ansiosos pela santificação como prêmio final divino, colaram nele como O Bom Samaritano cola no inconsciente.

Quando eu descobri que minhas ações sociais eram fruto dessa historinha predadora e escravagista do cérebro humano eu custei a me libertar. Foi uma luta diária para não olhar o sofredor como responsabilidade minha assim como minha a obrigação de contribuir para que as coisas mudassem. E, na trajetória da minha libertação muitas pedras foram evitadas mas sem a certeza de poder  cair na arapuca dos espertos e arrogantes mais uma vez.

domingo, 8 de abril de 2018

Larguem o osso

                              

Analistas políticos meia boca dizem que o Velhaco foi a maior liderança do Brasil nos últimos cinquenta anos. Paulista é mesmo filho da puta. E, sem pedidos de desculpas pelo palavrão.
Forçam lideranças abusando do seu colégio eleitoral, da diferença anti democrática no número de seus deputados federais, da hegemonia nacional dos  meios de comunicação, podam lideranças de outros estados, investem nos corruptos do Rio de Janeiro, promovem os vagabundos da nação e querem sair de formidáveis com essa coisa medonha que não tem vergonha e por, por força, colocar fogo no país.

O golpe de 64 e sua ditadura, acabou com o Brasil. Promoveu a industrialização paulista doa a quem doer, abusou do êxodo rural,  incentivando a imigração do nordeste para alimentar suas fábricas, e, depois abandonar a multidão nas periferias e fazer crescer a criminalidade. As aberrações paulistas que ocuparam a pasta da área econômica . bandidos travestidos de jargões que privilegiaram os de sempre, enriquecendo os mesmos e fazendo do resto do país o arrasto que tanto se orgulham.

Liderança é aquele que tira o país do buraco como a turma de fora de SP que plantou o Plano Real. Liderança é um homem que discretamente promove um programa tipo Plano Real e deixa um político paulista tirar onda da autoria e ainda sorri com desprezo.
Se não fosse o Paraná, o Brasil estaria atolado até o pescoço na miséria bolivariana. Sérgio Moro, um mero juiz de primeira instância, não pode ser colocado em plano inferior ao Velhaco, boquirroto que arrasta os ignorantes ou os formados nas fornadas estrangeiras de bolsas e livros distantes do Brasil. Maior liderança é aquela que promove mudanças reais.

A industrialização feita com conhecimento estrangeiro, com remessa de dinheiro para pagar os royalties sem o oportunismo de fazer mudanças e reformas. A não ser para aparar arestas e não fazer do trabalhador escravo escancarado dos donos do dinheiro. Preferem mandar os lucros para os depósitos estrangeiros, alimentar a boa vida de países que só servem para ter bancos com dinheiro de bandidos  e morar em Miami para ficar longe da massa morena e burra.

Lula é a desgraça do país porque tapeou seus eleitores, usou o pior da política para promover a maior corrupção do mundo. Tudo com populismo barato e com o beneplácito dos eleitores paulistas que formam e deformam a cidadania. De arrasto, usando e abusando da esperança dos desvalidos da pátria. Por trás de tudo o dinheiro dos mesmos bancam os dois lados, testas de ferro do dinheiro estrangeiro e do cala boca de traidores que, na surdina, passam por altos intelectuais transmissores de teorias alienígenas e ultrapassadas.

Quando alguma tragédia acontece em Paris não se diz França, o mesmo em Nova York não  se diz Estados Unidos. Mas quando acontece no Rio e São Paulo é Brasil. Danem-se e nos deixem em paz pois o mau exemplo espalha como fogo.

Lula pode ser a maior liderança paulista dos últimos cinquenta anos porque nasceu da industrialização direcionada e castradora da federação. Não vou discutir o que se passa em SP a não ser quando é para dizer B A S T A, saiam do foco, larguem o osso, parem de usar a mídia hegemônica para fazer do Brasil campo fértil para o jogo do dinheiro concentrado e que impede o crescimento do Brasil como um todo. Deixem crescer outras lideranças para que não usem essa análise canhestra e burra para promover o que não pode ser mais promovido.

sexta-feira, 6 de abril de 2018

Desafetos fora

                      


Tenho  ânsias de vômito ao acompanhar os desempenhos de ministros supremos dessa república de poderosos farsantes. Ultrapassados, presos a teorias rasteiras, metidos a eruditos e distantes anos luz do povo brasileiro.

Quer coisa  mais ridícula do que um metido a intelectual, dando seu relatório para votar e, todo enrolado, citar nomes de outros e que ninguém nunca ouviu falar ? Falando pelos cotovelos a ponto dele mesmo pedir desculpas ? Sapateia na lama dos preferidos, dos oportunistas sortudos da vida. Bem que o Papa andou pedindo a volta da vergonha na cara...

O outro, esquece a toga e advoga como o mais rasteiro dos juizecos de primeira instância e que o advogado militante precisa suportar todos os dias, desde que não possua o famigerado tráfico de influência. Na cara da nação ofende as duas mulheres que ousam opor a seu entendimento e a maracutaia inconfessável.

O Velhaco mais velhaco nunca antes havido no planeta, condenado e com ordem de prisão, continua com o prazer em tramar  artimanhas para o manter contínua a crise  política. Sonha em ficar na história ocupando papel no qual Luís Carlos Prestes fracassou. Por isso mesmo prende-se a gurus vetustos e fracassados que estão mortos e enterrados e fizeram de suas vidas um rastro de crises políticas. Parecem cheirar a bolor.

A mesma gente, os mesmos pensares, os mesmos comportamentos turrões que corroem a república desde os anos vinte.

Brasileiro é tão incompetente que faz revolução e deixa vivo o desafeto.

terça-feira, 3 de abril de 2018

Não interessa a troca de poder

                         
Há um assunto meio complicado para a maioria das pessoas porque não acompanha os rumos do discurso que prevalece na sociedade. É o aleitamento materno.

O ser humano já distanciou-se dos animais há milênios. Essa frase eu ouvi de um psiquiatra em uma manifestação em praça pública,  contra um bandido a solta em Vitória, na década de oitenta. O cara dormia de dia e saía à noite para matar. A polícia não conseguia prendê-lo em uma ilha de trezentos mil habitantes que era Vitória/ES naquele tempo.  Eu gostei da frase e a tenho para mim pegando-a como premissa, desde então.

Dentro dessa premissa eu vejo o aleitamento materno como opção absoluta, principalmente para quem não pode pagar o leite em pó. Mesmo assim, com restrições pois não acredito na fala dos médicos que o leite é bom mesmo nas subnutridas. Conheci esse tipo de mulher no sertão de MG e os filhos eram descarnados, de dois anos parecendo ter cinco meses, dependurados em tetas de onde saia um fiozinho aguado de leite.

Com a vida moderna, com mulheres trabalhando em profissões que lhes tomam o dia todo, responsabilidades e preocupações, o aleitamento materno prejudica a criança mais do que a beneficia. Sem precisar entrar em detalhes quanto a alimentação e a dificuldade de encontrar ajuda na criação de filhos amamentados no seio. É que a criança assim alimentada fica  completamente dependente do seio da mãe, da própria mãe, das reações que o leite trás, de acordo com o que a mãe come ou não. Haja chá de erva doce para gases.

São dois tipos de maternidade: A maternidade que alimenta no seio e a que alimenta  na mamadeira. Atrás disso vem o que chamo de Poder da Maternidade. E, como consequência, claramente, dois tipos de mães: A que manipula a maternidade e a que a exerce por si só.
Na primeira, a criança é totalmente dependente da mãe. E, na segunda a criança divide o seu bem estar com o pai, que pode alimentar aconchegado a si mesmo ou a terceiro que pode ficar  coma criança enquanto a mãe trabalha ou cuida da sua vida, tanto quanto o pai.

Em cada peculiaridade desse Poder da Maternidade e seu exercício está  a manutenção do amor paterno e materno e da chamada responsabilidade da participação de cada um na educação do rebento. Da amamentação o pai é quase um excluído, um espectador com certeza, e piora se houver ruptura no vínculo entre  os dois.

Essa tese dá um livro mas hoje eu tenho mais convicção que nunca que o aleitamento materno é usado como poder de controle da exclusividade da paternidade no sentido amplo e da manutenção da manipulação da mulher sobre o homem e a sociedade. Por isso basta-lhe e justifica, inclusive, o motivo da não participação na política, por exemplo. Se ela tem o poder de controle da alimentação que é vida e da posse do filho (a), o presente e o futuro, a vida fora disso é muito pouco para trocar. Inclusive o poder de manutenção da própria cria que fica colada nela porque há a extensão psicológica nisso tudo. Freud ouviu cantar o galo mas não sabia onde.

Eu escrevi um livro sobre isso há décadas mas continua bem atual para mim.